Quadrilha que agia há 4 meses é presa em operação contra golpe do falso frete

Quadrilha que agia há quatro meses em Campo Grande foi presa durante a Operação “Frete Livre”, deflagrada pela Defurv (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos), nesta terça-feira (26). Durante a ação, foi apreendida uma arma de fogo, aparelho que bloqueia sinal, além de algemas e um veículo.

A investigação apurou que a quadrilha agia desde março de 2022, na Capital, praticando diversos roubos de carretas, na modalidade conhecida por “falso frete”, quando os suspeitos entram em contato com motorista de carreta, o contratavam para frete e roubam o veículo. Geralmente, a quadrilha agia com a arma, anunciava o assalto e levava a vítima para um cativeiro, onde permanecia até que a carreta chegasse ao destino final.

Durante as diligências, os policiais chegaram a dois suspeitos, que foram localizados com um dos veículos utilizados nas abordagens aos motoristas. Eles confessaram participação nos “falsos fretes”, indicando, inclusive, onde estaria a arma utilizada e outros comparsas. Ainda informaram que nesta terça tentaram praticar dois roubos, que acabaram não dando certo em razão de os motoristas das carretas terem desconfiado e irem embora sem estacionar no local previamente combinado.

Carro apreendido com quadrilha na tarde desta terça-feira.

Na residência indicada pelos criminosos, os policiais localizaram um revólver calibre .38 com cinco munições intactas, um aparelho bloqueador de sinal – utilizado em roubos e furtos de veículos – uma algema (utilizada nas vítimas mantidas em cativeiro) e outro veículo que os suspeitos utilizavam para abordar as vítimas.

No local também estava outros dois comparsas que integravam a organização criminosa. Os quatro foram presos em flagrante pela tentativa de roubo qualificado pelo emprego de arma e por restrição de liberdade da vítima. Um deles foi também autuado por posse de arma de fogo de uso permitido.

A Defurv explicou que a investigação continua com o objetivo de identificar outras pessoas envolvidas no crime.

continua após publicidade