Polícia civil de Brasilândia resgata mulher mantida em cárcere privado

No início da tarde de hoje Policiais Civis de Brasilândia receberam informações de que poderia haver uma mulher em cárcere privado em uma residência localizada no bairro José Inácio, em Brasilândia-MS. A equipe policial se deslocou até o endereço e constatou que o portão estava trancado com um cadeado pelo lado externo.

Os policiais escalaram um muro e conseguiram fazer contato com a vítima, que, desesperada, começou a chorar e a pedir por socorro. O cadeado foi arrombado e a vítima foi resgatada.

Cadeado arrombado pela Polícia Civil para resgatar a vítima

O local onde ela era mantida em cárcere era bastante desarrumado em tinha péssimas condições de higiene.

A vítima narrou que estava proibida de sair e sua casa há seis meses, desde que se mudou para esta cidade. Essa informação foi confirmada por vizinhos, que nunca viram a vítima na rua ou na frente da casa e só sabiam que havia uma mulher na casa por causa dos gritos que ouviam quando ela era agredida pelo companheiro.

 

Segundo relato da vítima, hoje pela manhã ela foi agredida fisicamente e ameaçada de morte pelo companheiro, que ameaçou matá-la com um revólver. O suspeito teria saído de casa e levado a arma consigo, deixando a vítima trancada.

A Polícia Civil de Brasilândia solicitou auxílio às Polícias Civil, Militar e Rodoviária do estado de São Paulo, pois havia informações de que o suspeito havia se deslocado para aquele estado.

Horas após uma equipe do TOR, grupo tático da Polícia Rodoviária Estadual de São Paulo, conseguiu localizar e abordar o suspeito em uma rodovia no município de Pacaembú-SP, distante cerca de 100 quilômetros de Brasilândia-MS.

S.R., 80 anos, estava acompanhado do filho, que também teria participado do cárcere privado da vítima. Os policiais do TOR apreenderam um revólver calibre .38 SPL em poder da dupla.

Ambos, pai e filho, foram detidos e serão autuados em flagrante delito por crime de sequestro e cárcere privado, lesão corporal dolosa e porte ilegal de arma de fogo. A prisão em flagrante será lavrada no plantão da Polícia Civil na cidade de Adamantina-SP.

A vítima prestou declarações na Delegacia de Polícia de Brasilândia e foi acolhida pelo serviço social do município

“A prisão dos suspeitos só foi possível pela perspicácia e cidadania da pessoa que denunciou esse grave crime à Polícia Civil e também pelo excelente entrosamento entre as forças policiais que atuam na região de divisa entre os estados de Mato Grosso do Sul e São Paulo”