Mortos em chacina foram separados e colocados em paredão por pistoleiros que disseram ser policiais

Testemunhas da chacina que acabou na morte de quatro pessoas em um salão de festas em Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande, na noite dessa terça-feira (5), afirmaram que os pistoleiros usavam roupas camufladas das forças armadas do Paraguai.

Foram assassinados: Geovani Souza da Silva, de 29 anos, Josimar Cáceres de Oliveira, de 31 anos, Venâncio Cabreira, de 39 anos, e Luis Vareiro, de 27 anos, conhecido como ‘Chorão’. Todos estavam em uma festa de aniversário, quando os três pistoleiros chegaram em uma camionete Amarok, de cor branca.

Continua após publicidade

Ainda segundo uma testemunha, os criminosos disseram que eram policiais e passaram a separar as pessoas em grupos, colocando as  em um paredão no local e atirando contra elas. Os criminosos tinham sotaque paraguaio e logo após o ataque fugiram. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e o  foram acionados e socorreram os feridos para o  da cidade.

Informações são de que Venâncio e Josimar morreram no hospital. Venâncio teve perda de massa encefálica. A polícia investiga o caso.

Fonte: midiamax