Mais 3 pessoas morrem de H3N2 em MS e número de vítimas sobe para 68

A meta de Mato Grosso do Sul para 2022 é atingir a marca de 55 mil toneladas de peixes produzidos. Isso corresponde a 50% de aumento em relação à produção de 2021, quando MS produziu 36,4 mil toneladas.

Com o investimento de R$ 10 milhões de reais em uma planta para processamento de proteína de pescado, o estado pretende gerar mais de 100 empregos diretos na região de Inocência e processar cerca de cinco toneladas de tilápia por dia.

“A ideia é promover o fortalecimento da cadeia produtiva da piscicultura no Estado de Mato Grosso do Sul, de forma ambientalmente correta, economicamente viável e socialmente justa”, elencou Jaime Verruck, secretário da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Produção, Desenvolvimento e Agricultura Familiar).

Verruck recebeu na última semana recebeu o prefeito de Inocência, Antônio Ângelo Garcia dos Santos (o Toninho da COFAPI), acompanhado do secretário de Agricultura do município, Valdir de Lírio e da empresária Leida Cristina Mendes Queiroz. Eles apresentaram ao secretário o projeto de construção de um frigorífico para processamento da carne de tilápia.

Os recursos devem vir do FCO (Fundo Constitucional do Centro-Oeste), além de receber incentivos fiscais dentro do Prodes (Programa de Incentivos para Desenvolvimento Econômico e Social de Campo Grande).

Os investimentos fazem parte do Plano Estadual de Fortalecimento da Cadeia Produtiva da Piscicultura no Estado de Mato Grosso do Sul (PRO-PEIXE).

“Vamos ativar o Pro-Peixe e estimular os produtores a criar tilápias para atender o frigorífico, já conversamos isso com o prefeito. Temos uma série de produtores com tanques escavados e que podem passar a produzir o peixe para fazer o suprimento da fábrica”, disse Verruck.

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a tilápia corresponde a 30,2% do volume de abates de peixe criado em tanques no Brasil. Ao todo, o Estado produziu 16,2 milhões do pescado no ano passado, enquanto o país chegou a 53,7 milhões em volume abatido.

Com isso os cinco maiores produtores de tilápia do estado, que representam 90% da produção e MS, Aparecida do Taboado com 40,97%, Selvíria com 32,99%, Brasilândia com 6,21%, Mundo Novo com 5,68% e Itaporã responsável por 4,21%, transformam o estado no maior exportador de tilápia, com US$ 6,7 milhões.

Conforme o secretário as metas do Plano são além de ampliar a produção de peixes em cultivo, incrementar, por intermédio de projetos de incentivo a captação de novas indústrias e apoio às indústrias atuais, a capacidade de processamento de pescado no estado para 62 mil toneladas/ano até o final de 2022.

“O Estado busca ainda reposicionar-se no ranking nacional de produção de peixes no país, de modo a figurar entre os cinco maiores produtores, até o final deste ano”, afirma o secretário.

(*) Correio do Estado