Homem usa imã para ‘pescar’ carro que estava desaparecido em MS

Felipe Nespolo Freitas, de 28 anos, conseguiu com a ajuda de um imã “pescar” um carro que estava naufragado e desaparecido no Rio Amambai. O episódio inusitado aconteceu neste sábado (8) em Naviraí, a 370 km de Campo Grande.

O administrador contou ao g1 que tudo começou quando um amigo da família, que possui uma loja de pesca na cidade, contou que um Polícia Militar havia perdido o carro ao desembarcar o barco de pescaria na rampa do Rio Amambai, na terça-feira (4). O veículo e a carretinha, caíram no rio e afundaram.

“Eu então falei sobre o imã que eu e meu pai temos para procurar objetos perdidos, um hobbie nosso já que ele não gosta de pescar”, brincou Felipe. O jovem que já encontrou facas e até mesmo moedas antigas com o imã, nunca imaginou que um dia ajudaria nas buscas por um carro desaparecido.

No sábado (8), Felipe e o amigo foram para o rio, onde seis barcos, o Corpo de Bombeiros Militar e até mesmos mergulhadores profissionais já haviam feito buscas, mas sem obter sucesso.

“Começamos descendo conforme a correnteza, então soltei o imã no fundo do rio e fui segurando a corda para ver se puxava alguma coisa, foi quando senti a primeira ‘fisgada’. Então voltamos para cima e descemos outra vez e, no mesmo local, senti puxar mais uma vez. Na terceira tentativa, quando senti que deu uma enroscada, eu puxei firme e logo veio a placa do carro”, contou.

 

Depois que descobriram onde estava o carro, os amigos decidiram passar pelo local mais uma vez para ver se o imã fixava melhor, foi quando encontraram a carretinha.

“Um rapaz que estava com a gente no barco mergulhou, amarrou uma corda na carretinha e a gente levou essa corda até a beira do barranco. Perto do rio tem um porto de areia onde pedimos ajuda e, com o auxilio de uma pá-carregadeira, conseguimos retirar o veículo”, detalhou Felipe.

O jovem brincou dizendo que enquanto retiravam o carro do Rio Amambai resolveu mandar um vídeo para o seu pai dizendo, “quando estamos juntos a gente nunca acha nada com os imãs, dessa vez que eu vim sem você e achei um carro”.

“No final dessa situação, o dono do veículo me agradeceu muito e eu falei pra ele que tinha sido um prazer ter pescado o carro. Já que não é qualquer dia que conseguimos pescar um carro com uma carretinha”, brinca Felipe.

(*) G1 MATO GROSSO DO SUL