Crimes violentos: MS registrou 491 mortes em 2020, 25 a mais que no ano anterior, conforme IBGE

O ano de 2020 em Mato Grosso do Sul, além de ser marcado pela pandemia e suas mortes, foi cenário de muitos assassinatos. Conforme um estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado nesta quinta-feira (18), 491 pessoas morreram pelos seguintes crimes considerados violentos: homicídio doloso, latrocínio e lesão corporal seguida de morte. O número é 25 vezes maior que em 2019.

Ainda de acordo com os dados, em 2020, o mês com mais registros de mortes foi fevereiro, com 51 óbitos, seguido de novembro e dezembro, ambos com 50. Janeiro e agosto foram os que registraram os menores números, com 30 ocorrências.

No mesmo período, o recorde foi registrado em casos de homicídio doloso, com 468 crimes em MS. Em seguida, ocorreram 16 latrocínios e 7 óbitos por lesão corporal seguida de morte.
O órgão também divulgou dados de 2021. No Estado, até o mês de setembro, 351 pessoas morreram, sendo que em agosto ocorreram 54 mortes e em julho, 31 óbitos. Já em setembro, o único crime que culminou nos óbitos foi o de homicídio doloso.

Já no Brasil, mais de 1,5 milhão de registros de óbitos foram computados ao longo de 2020, maior contingente de mortes da história recente do país.
Ao todo, foram registradas 195.965 mortes a mais no país na comparação com 2019, o que corresponde a um aumento de 14,9% dos registros de óbitos – maior aumento, tanto em número absoluto quanto em percentuais, desde 1984, quando teve início a série histórica das Estatísticas do Registro Civil feita pelo IBGE.

(*) G1 MATO GROSSO DO SUL.