Com alerta para variante Ômicron, Reinaldo diz que decisão sobre carnaval em MS fica para o ano que vem

Sob o alerta para a variante Ômicron, que já foi confirmada em São Paulo, estado vizinho ao Mato Grosso do Sul, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) disse, em agenda na manhã desta quarta-feira (1º), que a decisão sobre a realização do carnaval ficará para 2022.

“A questão do carnaval é de cada município, é ele que vai decidir se vai ter ou não, o prosseguir orienta. Não dá para criar alarmismo sobre nova variante”, pontuou o governador.

Ainda conforme Reinaldo, as autoridades de saúde orientaram que a prevenção para uma possível nova onda de covid é a vacinação. “Quem está vindo a óbito [por covid em MS] é 94% de quem não tomou nenhuma dose”, declarou.

Para preparar o Estado,o governador afirma que o trabalho será em ampliar a cobertura vacinal. “Está provado pela ciência que a vacina protege vidas. Tem que chamar quem não tomou 1ª dose ou 2ª dose e quem está apto para a dose de reforço”, reforçou.

Quanto à preocupação das escolas de samba e blocos carnavalescos em relação às finanças, Reinaldo garantiu que os repasses serão mantidos, independente da realização da festividade em MS. “O que o Estado faz todos os anos é apoiar quem gosta como clubes, ligas e escolas de samba para se prepararem com antecedência, mas isso não quer dizer que terá o carnaval”, pontuou.

Dessa forma, o governo de MS manterá o valor dos repasses, uma vez que em 2021 não houve realização do carnaval e os envolvidos com a festa ficaram sem o repasse público. Dessa forma, os clubes e escolas poderão se organizar até haver uma definição sobre o tema, que deverá sair a pouco tempo da festa popular.

Campo Grande sem folia

O prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), já anunciou que não haverá carnaval em Campo Grande. O posicionamento oficial da SES (Secretaria Estadual de Saúde) é de atenção para a nova variante do coronavírus. 

O secretário estadual de saúde, Geraldo Resende, diz que o momento é de preocupação no mundo todo.“A posição nossa é de precaução contra qualquer evento, seja réveillon, seja Carnaval, que possa levar a aglomerações. O mundo todo está apreensivo com o que está acontecendo na Europa, fruto de uma onda de não vacinados, e agora essa mutação descoberta na África do Sul, a Ômicron, alerta a todos nós”, reforçou.

(*) MIDIAMAX