Atirador morto pela PM tinha longa ficha criminal

Sérgio Carlos da Silva, de 39 anos, morto após confronto a tiros com policiais militares do Batalhão de Choque, na noite desta segunda-feira (21), acumulava extensa ficha criminal, entre tráfico de drogas e violência doméstica. Sérgio foi atingido após disparar a esmo no meio da rua, no Bairro Aero Rancho, em Campo Grande. Uma vizinha foi atingida e socorrida pelos bombeiros.

Sérgio, vulgo “Serginho” ou “Cabeça”, já tinha sido fichado três vezes por porte ilegal de arma de fogo. Em 2018, foi flagrado com cigarros de maconha na Vila Nhanhá, mas alegou ser para consumo próprio. Já em 2019, foi preso em uma residência do mesmo bairro comercializando cocaína e maconha.

No fundo da imagem, residência onde estava a moradora que foi baleada pelo atirador.

Além disso, na ficha criminal constam outras duas passagens por tráfico de drogas, duas pelo crime de receptação, duas por desobediência e uma por violência doméstica.

Confronto – Tudo aconteceu na esquina das ruas Agrolândia e Expedicionário Alcindo Jardim Chagas, no Aero Rancho, na noite de ontem. De acordo com testemunha, Sérgio saiu de casa armado. Empurrando uma motocicleta, ele disparou várias vezes a esmo e acabou acertando uma vizinha que estava sentada na varanda da casa dela com outras três pessoas. Atingida no braço, ela foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros.

Arma usada por Sérgio foi apreendida.

A Polícia Militar foi acionada e encontrou o autor dentro da casa. No entanto, os militares do Batalhão de Choque foram recebidos a tiros, então revidaram, acertando Sérgio. Em seguida, os pais do suspeito saíram da casa. O socorro foi acionado, mas Sérgio não resistiu e morreu.

Após levantamento da perícia e Polícia Civil no local dos fatos, foi encontrado dentro do forno do fogão, um coldre com cinco munições de calibre 38. A arma utilizada por Sérgio também foi apreendida.

Fonte: Campo Grande News